sábado, 3 de junho de 2017

NITERÓI DE BICICLETA: Zona Norte terá nova ciclofaixa



Ciclofaixa da João Brasil vai atravessar a Alameda e seguirá pela Magnólia Brasil e Carlos Maximiniano, até São Lourenço. Foto: Evelen Gouvêa



Pamella Souza

Segundo o prefeito Rodrigo Neves, ela será instalada nos 2,5 quilômetros da Avenida Professor João Brasil

A Zona Norte de Niterói vai ganhar uma ciclofaixa no segundo semestre deste ano. A área para ciclistas terá 2,5 quilômetros, sendo implantada em toda a Avenida Professor João Brasil. A medida pretende integrar a estrutura ao Centro da cidade.

De acordo com o prefeito, a ciclofaixa da João Brasil seguirá por outras ruas, atravessando a Alameda São Boaventura, seguindo pela Rua Magnólia Brasil e Rua Doutor Carlos Maximiniano, no Fonseca, até a ciclofaixa já existente na Rua São Lourenço.

Nessa região, moradores reclamam do grande índice de assaltos, tornando as vias pouco transitáveis, principalmente à noite. Para garantir a usabilidade das ciclofaixas, Rodrigo Neves informou que vai solicitar apoio do 12º BPM (Niterói), a fim de garantir a segurança no local.

“A segurança pública é atribuição do Governo do Estado, mas estamos fazendo diversas ações para melhorar a segurança na cidade. Claro que nós vamos pedir à Secretaria Estadual de Segurança e ao batalhão a ampliação da vigilância ali também, como já temos pedido”, garantiu Neves.

A ampliação da malha faz parte do plano cicloviário da Prefeitura de Niterói. Segundo Rodrigo, a meta é chegar a 100 quilômetros até 2020. Por isso, outras ciclovias de ligação, como na área do Barreto, serão implantadas gradativamente. Agora, além da João Brasil, o Executivo planeja concluir a ciclovia da TransOceânica.

“Neste ano, vamos avançar com a ciclovia do corredor da TransOceânica, na saída dos túneis até Itaipu. Com isso, Niterói vai ser a cidade mais ciclável do Brasil, garantindo ciclovias cada vez mais seguras e um trânsito mais humanizado na cidade”, assegura o gestor.

Em julho, a licitação para instalação de paraciclos e bicicletários em Icaraí será concluída, dando suporte a quem opta pelo uso sustentável da bicicleta.

Anseio – Ciclistas do Fonseca reivindicam uma ciclovia na Alameda São Boaventura. Quem se arrisca hoje em meio ao trânsito de veículos, reclama que a via é estreita e perigosa. Para não correr riscos, alguns optam por pedalar pelas calçadas.

Um levantamento do grupo Mobilidade Niterói aponta que cerca de 15% dos ciclistas urbanos de Niterói são da Zona Norte.

“A Alameda é plana e grande. A ciclovia e/ou ciclofaixa atenderia grande número de ciclistas e atrairia novos”, pontuou Sérgio Franco, representante do Mobilidade Niterói, lembrando que na Alameda e em seu entorno existe um número considerável de moradores e comércios que seriam beneficiados pela medida.

O professor de educação física Marlon da Costa, de 30 anos, declarou que evita andar de bicicleta no local.

“Andar por ali é complicado, as faixas são muito apertadas. Prefiro até andar durante a noite, quando o fluxo de veículos é menor. Acho que seria legal a ciclofaixa, assim teríamos nosso espaço”, sugere.

A prefeitura informou que possui um estudo para definir se há condições de implantar uma ciclofaixa na Alameda, mas isso depende de reestruturação dos transportes na via.

Com Marina Assumpção

Fonte: O Fluminense








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Contribua. Deixe aqui a sua crítica, comentário ou complementação ao conteúdo da mensagem postada no Blog do Axel Grael.